5 formas de aplicar o movimento outubro rosa ao longo do ano todo - Sidesc

É bem provável que durante o mês de outubro você tenha visto, lido e ouvido algo sobre o movimento Outubro Rosa, o qual visa estimular a participação da população no controle do câncer de mama, uma doença causada pela multiplicação de células anormais, que formam um tumor. No entanto, é bem importante ter em mente que os cuidados preventivos devem ultrapassar o período em que a campanha está acontecendo e estar presentes durante o ano todo para, de fato, serem efetivos.

Se nesse momento você está se perguntando “o que posso fazer ao longo do ano para prevenir o surgimento do câncer de mama?”, fique atento a este post. Listamos em detalhes os cinco principais cuidados que contribuem para afastar as possibilidades de desenvolver um tumor nas mamas e podem ser facilmente integrados à rotina das mulheres. Boa leitura!

Panorama do câncer de mama no Brasil

Antes de tudo, é preciso saber que os dados sobre os casos de câncer de mama no país são alarmantes e mostram por que o movimento outubro rosa tem conquistado cada vez mais atenção. Segundo informações do INCA (Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes), estimam-se no Brasil 59.700 casos novos de câncer de mama para cada ano do biênio 2018-2019.

Em uma média nacional, o número acima representa que a cada 100 mil mulheres existe um risco estimado de 56,33 casos, tornando o câncer de mama o segundo mais frequente depois dos tumores de pele não melanoma. Nas mulheres que moram na região sul do Brasil, o índice é de 73,07 casos a cada 100 mil mulheres.

Importância da detecção precoce

Existem vários tipos de câncer de mama, alguns deles se desenvolvem rapidamente e outros de forma mais lenta. De todo modo, há grande possibilidade de detectar o tumor ainda nas fases iniciais, o que aumenta as chances de tratamento e cura. De acordo com o INCA, a maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres, por isso a importância de conhecer o próprio corpo e saber o que é normal ou não nas próprias mamas.

Além de conhecer o próprio corpo, mulheres com idade entre 50 a 69 anos devem fazer mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame contribui para identificar o câncer o mais precocemente possível, antes mesmo do aparecimento dos sintomas.

5 ações estimuladas pelo movimento outubro rosa

Em meio ao panorama de casos no Brasil e a importância da detecção precoce, existe uma notícia bem positiva: 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de cinco principais práticas. Ambas contribuem também para prevenir uma série de outras doenças crônicas não transmissíveis.

1) Praticar atividade física regularmente

Os exercícios físicos são responsáveis por promover o equilíbrio dos níveis de hormônios e fortalecer as defesas do corpo. Além do mais, contribuem para manter o peso corporal adequado, que é uma das ações essenciais para prevenir o câncer de mama.  A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda, no mínimo, 150 minutos de atividade física de intensidade moderada por semana ou, pelo menos, 75 minutos de atividade física de intensidade vigorosa semanalmente.

2) Alimentar-se de forma saudável

Uma alimentação balanceada é fundamental para que o organismo se mantenha bem e saudável. As propriedades nutricionais contidas em frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas contribuem para a prevenção do câncer. Já os alimentos ultraprocessados devem ser evitados, pois fazem justamente o contrário. Entre eles estão os refrigerantes, biscoitos industrializados, embutidos, produtos congelados prontos para aquecer e produtos desidratados.

3) Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

Entre as substâncias que apresentam efeito cancerígeno sobre as células está o etanol. Quando ele chega ao intestino, pode atuar como solvente, o que facilita a entrada de outras substâncias carcinogênicas. Quanto maior a quantidade ingerida e o tempo exposto ao etanol, maior é o risco de desenvolver cânceres, entre eles o de mama.

4) Manter o peso corporal adequado

O excesso de gordura no corpo gera um processo inflamatório no organismo, aumentando a produção de hormônios, os quais podem causar danos às células e, então, provocar ou acelerar o surgimento do câncer. De acordo com o Ministério da Saúde, uma das técnicas para avaliar se o peso corporal é a medição da circunferência abdominal. Para estar mais próximo ao ideal, homens devem apresentar medida da região do abdômen igual ou inferior a 94 cm, e as mulheres 80 cm.

5) Consultar seu médico periodicamente

Os médicos são os profissionais mais indicados para avaliar e identificar alterações no organismo e hábitos que precisam ser revistos. O fato de manter consultas e realizar exames periodicamente contribui para que médico e paciente consigam trabalhar em conjunto e detectar o mais cedo possível quaisquer mudanças e necessidade de incorporação de novas práticas.

Agora que você já conheceu as cinco principais condutas disseminadas pelo movimento outubro rosa e que devem se estender ao longo dos 12 meses do ano, aproveite para conferir a rede credenciada do Sidesc e identificar os profissionais que podem te ajudar a incorporar hábitos mais saudáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *